O Cate - Inspiração DICA | Segurança da informação e proteção de dados: o que faz um trabalhador da área?
2 de março de 2022
A imagem é uma foto de um cadeado de cor prata em cima de um teclado de notebook. As teclas estão iluminadas pela luz da tela do aparelho, o que dá uma tonalidade azul para a imagem.

DICA | Segurança da informação e proteção de dados: o que faz um trabalhador da área?

A segurança da informação é agora prioridade em muitas empresas. A quantidade de dados e informações sigilosas que circulam pelos meios digitais é cada vez maior, há necessidade de seguir a legislação, e os profissionais disponíveis no mercado não são muitos. Com as empresas precisando montar um time especializado, a demanda por profissionais se tornou grande.

Quem trabalha com segurança da informação, entretanto, não pode se limitar a ter conhecimento apenas sobre tecnologia. Também é preciso saber sobre legislação, elaboração de políticas internas e até gestão de pessoas: tudo com o objetivo de manter seguras as informações pessoais ou empresariais.

Quer entender por que essa área é tão importante e sobram vagas no mercado de trabalho? Leia os tópicos a seguir.

Risco aos dados

A expansão dos sistemas tecnológicos fez crescer os ataques e golpes que usam esses meios. De acordo com Apostolos Antonopoulos, especialista em Gestão de E-commerce e Business Intelligence, “conforme aumenta a presença digital de negócios e pessoas, isso impulsiona também os ataques cibernéticos”.

Atualmente, os spywares (softwares espiões) causam risco de roubo de senhas, que podem acabar em golpes virtuais, e um dos métodos mais utilizados para invadir computadores é o phishing – o envio de e-mail ou SMS com formato muito parecido com o de mensagens comuns. O golpista finge ser membro de uma instituição de confiança e induz a pessoa a clicar em um link ou fazer download de um arquivo infectado com o spyware. Com esse arquivo instalado no aparelho da vítima, o criminoso rouba dados financeiros e pessoais.

O surgimento de crimes mais sofisticados nessa área tem chamado atenção para a necessidade de investimento em segurança e regulamentação.

Lei Geral de Proteção de Dados

Em 2018, foi sancionada no Brasil a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que define e regulamenta o uso dos dados de todos os brasileiros nos meios digitais. Com a chegada da LGPD, empresas de todo o país terão que se adequar, elaborando termos e adotando políticas em torno dos dados que solicitam para os seus clientes.

A LGPD dá algumas diretrizes de como as empresas devem guardar informações como CPF, CNPJ, endereço, números de telefone e outros dados pessoais e empresariais fornecidos na hora de preencher um cadastro, por exemplo.

A regulamentação até impulsionou práticas de segurança, como a criptografia de dados, o planejamento de backups, a definição de um responsável pelo tratamento das informações (chamado data protection officer) e a conscientização de colaboradores sobre o assunto. Contudo, ainda existem muitos desafios.

De acordo com uma pesquisa da ICTS Protiviti, no final de 2020, 82% das empresas ainda não estavam preparadas para cumprir totalmente a LGPD. A ausência de estrutura e a alta de apoio especializado são fatores que explicam a demora na adequação.

Adequação à LGPD

Um dos passos para se ajustar à LGPD é mapear e descrever o que será feito com as informações coletadas de terceiros, onde elas serão armazenadas e se haverá compartilhamento com instituições parceiras ou afins. Também é necessário esclarecer o consumidor sobre as condições em que seus dados serão utilizados e dar a ele meios para autorizar ou não esse uso.

Outra medida é a criação de um canal de comunicação em que exista uma pessoa responsável por atuar entre o controlador, os titulares dos dados e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), como explica um documento orientador publicado pelo governo federal.

O capítulo VII da LGPD também determina que os dados pessoais estejam protegidos do acesso de pessoas não autorizadas e de situações acidentais, como perda ou destruição.

As empresas deverão prestar contas à ANPD sobre as adequações previstas, e as penalidades para quem não cumprir as regras incluem bloqueio da base de dados, multas equivalentes a até 2% do faturamento e até suspensão das atividades.

Formação na área de segurança da informação

Para o especialista Apostolos Antonopoulos, muitas empresas não possuem estrutura para lidar com as mudanças, o que se agrava pela falta de profissionais de tecnologia. “Na área de segurança da informação, existe um vão gigantesco de profissionais em relação à demanda”, relata. Assim, há espaço para novos trabalhadores atuarem nas adequações.

Para quem quer ingressar no mercado, um dos caminhos é buscar um curso superior em segurança da informação. A modalidade tecnólogo possui aproximadamente dois anos e meio de duração. Aqueles que já são formados em outras áreas de tecnologia da informação, como desenvolvimento web, análise de sistemas e ciência da computação, podem fazer uma pós-graduação na área. Também é possível buscar instituições credenciadas e fazer cursos livres de certificação ISO 27001, o conjunto de normas internacionais para segurança da informação.

 

Para além das ferramentas

Como dissemos, a segurança da informação não trabalha somente com ferramentas tecnológicas. Por isso, nas grades dos cursos há disciplinas diversas, que vão desde políticas sobre privacidade até gestão e fatores humanos.

“Entenda como ameaça [cibernética] não só a questão de software malicioso. Existe a engenharia social, por exemplo, que atua nas pessoas. Como controlar isso? Criando políticas e diretrizes de conduta”, explica o especialista Apostolos Antonopoulos.

A engenharia social utilizada em crimes virtuais é a tática de criar uma identidade supostamente confiável e manipular a vítima para induzi-la a passar informações bancárias, pessoais e empresariais ou para infectar o aparelho por meio de um download. A ação dos criminosos pode ser direcionada, por exemplo, para um funcionário de uma empresa, na intenção de acessar o sistema da instituição. Portanto, muitas vezes, os crimes virtuais dependem de fator humano.

Cabe ao profissional da segurança da informação avaliar soluções como programas de conscientização dos colaboradores; medidas para restrição de download e acesso a sites em máquinas de trabalho; planejamento de backups; atualizações periódicas de senhas; definição de níveis de acesso a informações internas.

A conscientização deve envolver todos os níveis da empresa: funcionários, colaboradores e cargos de chefia. “É função de um departamento de segurança da informação cuidar disso, através de treinamento e orientação”, completa Apostolos.

Entretanto, a conscientização não serve só para as empresas. Ela é um caminho para todos os consumidores que querem proteger seus dados pessoais. A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) e a Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça e Segurança Pública (Senacon/MJSP) lançaram, em setembro de 2021, um guia completo de como proteger os dados pessoais. A publicação apresenta algumas ações bem simples para a rotina de todas as pessoas, como criar senhas fortes (combinar caracteres especiais, letras maiúsculas, minúsculas e números), ter cuidado antes de clicar em links ou fazer downloads e usar verificação de senha em duas etapas.

 

Percebeu como a segurança da informação é diversa e trata de assuntos bem presentes no dia a dia? A tendência é que a área continue em alta! Se você gostou desses aprendizados, compartilhe com todos os amigos amantes de tecnologia. Até a próxima!

[Total: 10    Média: 4.5/5]

11
Comentários

6 Comment threads
5 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
Letícia Gonçalves FernandesPortal CateLeonardo José Araújo CostaRenata chaves dos santosNatalia Domenica de Jesus Tomaz Recent comment authors
newest oldest
jussara Maria Augusto FARIAS
Membro
jussara Maria Augusto FARIAS

Gostei e aprovei sei que sempre vai ter alguém a frente mais nunca desista sempre precisamos nos proteger contras mal internaltas esse rack vou passar pra quem precisa saber tenho muita gente na minha rede pessoal

Portal Cate
Editor
Portal Cate

Olá, Jussara! Agradecemos muito o seu comentário. Todo o nosso trabalho é feito com muito empenho e seriedade para ajudar vocês a conquistarem seus objetivos. E caso tenha interesse, você pode encontrar todos os conteúdos e cursos da área de tecnologia clicando em: https://cate.prefeitura.sp.gov.br/tecnologia/. Um abraço!

Fernando Gomes de melo
Membro
Fernando Gomes de melo

bom dia gostei muito pois tem muitas pessoas que não conhece esses métodos para se proteger

Portal Cate
Editor
Portal Cate

Que bom que esse conteúdo foi útil para você, Fernando! Para encontrar mais conteúdos e cursos da área de tecnologia, clique em: https://cate.prefeitura.sp.gov.br/tecnologia/. Abraços.

Natalia Domenica de Jesus Tomaz
Membro
Natalia Domenica de Jesus Tomaz

Muito interessante e produtivo gostei

Portal Cate
Editor
Portal Cate

Agradecemos muito o seu comentário, Natália! Se quiser explorar mais conteúdos e cursos da área de tecnologia, clique em: https://cate.prefeitura.sp.gov.br/tecnologia/. Continuamos à disposição. Abraço!

Renata chaves dos santos
Membro
Renata chaves dos santos

Boa tarde como eu faço a inscrição para o curso

Portal Cate
Editor
Portal Cate

Boa tarde, Renata! Este é apenas um conteúdo de Dicas e Inspirações para você conhecer melhor a área de Segurança da Informação. Os cursos na área de tecnologia se encontram neste link: https://cate.prefeitura.sp.gov.br/tecnologia/. Lembrando que os posts sinalizados como “DICAS” não são cursos. Caso tenha mais dúvidas, entre em contato pelo chat de atendimento. Abraço!

Leonardo José Araújo Costa
Membro
Leonardo José Araújo Costa

Boa Noite
Quero me matricular no curso de cyber segurança mas não tenho o link poderiam me enviar o mesmo?

Portal Cate
Editor
Portal Cate

Olá Leonardo, tudo bem? O conteúdo acima é só uma dica para conhecer melhor as possibilidades da área de Segurança da Informação. Infelizmente, ainda não oferecemos nenhum curso na área. Mas você pode dar uma olhada em todos os cursos de tecnologia oferecidos gratuitamente pelo Portal em https://cate.prefeitura.sp.gov.br/tecnologia/. Abraços.

Letícia Gonçalves Fernandes
Membro
Letícia Gonçalves Fernandes

Qual o site para curso de portaria com certificado?

Mais visto

Conteúdos Relacionados

Neste podcast, você entende quais são os diferentes perfis de profissionais que atuam ...
Topo
0